DORES CRÔNICAS
Livre-se das dores com a hipnose!  Veja os Tipos de dores com origem psicológica...Vila Guilherme/Sp

 

Tratamento complementar da Dor Crônica

 

Só quem convive com a dor sabe o quanto ela atrapalha e limita o dia-a-dia. Sinônimo de sofrimento, a dor crônica tem diversas origens e normalmente é um sinal de alerta para avisar que algo não está bem com o nosso corpo, e que devemos procurar um médico. 

 

A dor atormenta a vida de muitas pessoas e precisa ser levada a sério. Apenas um profissional de saúde é capaz de diagnosticar a origem da dor e prescrever o tratamento adequado para cada situação, mas terapias como a Hipnose Clínica podem ser fundamentais para acelerar o processo de cura e, ainda, acabar com aquilo que chamamos de efeito psicológico da dor: quando o paciente se acostuma a sentí-la e criar um padrão de comportamento do qual a dor faz parte. 
 
A hipnose contribui para a diminuição da sensação de dor e dos sintomas a ela associados, proporcionando melhora na qualidade de vida dos pacientes. esta é eficaz no tratamento da dor crónica, e aguda, fibromialgia, artrite rematóide entre outras.

 

Livre-se das dores com a hipnose!
Isso acontece porque nossos nervos têm memória e acabam transmitindo estímulos de dor, o que pode fazer com que a dor crônica continue existindo, independente da doença.
Para evitar problemas como esse, é importante que o paciente tenha o alívio adequado da dor aguda, evitando assim que os nervosos formem essa memória que pode trazer ainda mais sofrimento.
O médico é a pessoa mais indicada para tratar quem tem dores no corpo.
O tratamento sempre deve ser feito seguindo as recomendações do profissional. No entanto, se a causa da dor for tratada e a dor permanecer, pode ser hora de buscar outro tipo de ajuda, uma vez que a própria medicina já reconheceu que o componente psicológico da dor não pode ser ignorado.

 

Tipos de dores com origem psicológica

 

- Dor de cabeça - tensão emocional e muitas preocupações. Pessoas que pensam demais e realizam         pouco. Amargura com alguma recordação de eventos passados, entre outros.
- Dor no pescoço/nuca - forte tensão emocional, conflitos entre a razão e os sentimentos.
- Dor nos ombros - sobrecarga de tarefas, tensão emocional, timidez, medo, insegurança.
- Dor nas Costas - medo, desamparo, insegurança, sobrecarga de tarefas, tensão emocional
- Dor na lombar - sobrecarga de tarefas, tensão emocional, medo, insegurança
- Dor nas mãos - sobrecarga de tarefas, tensão emocional, medo, insegurança
- Dor nas Articulações - Sentimento de Impotência, grande tensão emocional, medo e tristeza. Rigidez de pensamento, inflexibilidade
- Dor Muscular - Tensão, energia acumulada, tristeza, medo, raiva, conflitos existenciais
- Dor de estomago - Tensão, irritabilidade, conflitos insolúveis, mágoa, raiva, nervosismo
- Dor nos quadris - sobrecarga de tarefas, tensão emocional, medo insegurança
- Dor nos joelhos - Sobrecarga de tarefas, tensão emocional, medo, insegurança

 

Como a hipnose pode ajudar no tratamento?
É preciso entender que, em casos de dores crônicas, o paciente involuntariamente já espera sentir dor, então acaba criando um padrão de comportamento do qual a dor faz parte.
No início do processo, a dor física é grande e a dor emocional é só um detalhe. Com o passar do tempo, no entanto, esse quadro se inverte:
A dor emocional é tão grande que ganha dimensões assustadoras. Nessas horas, tratar as emoções é a única forma de se livrar do problema. E é aí que a hipnose pode ser fundamental, contribuindo para diminuição da sensassão de dor e dos sintomas a ela associados, proporcionando melhora na qualidade de vida dos pacientes. 
Claro que a terapia não deve substituir o tratamento clínico, mas pode ser uma importante aliada durante o processo de cura.
Se você se identificou com esse caso, ou conhece alguém que parece estar vivendo essa situação, busque a ajuda da hipnose.   Venha descobrir os poderes da sua mente e livrar-se daquilo que lhe faz mal.
Consulte sempre seu médico
* Antes de optar por uma terapia natural, complementar ou alternativa, consulte seu médico de confiança.
 Dê o Primeiro Passo!  
 Queremos dar-lhe a ajuda que precisa